quinta-feira, 9 de março de 2017

Dar a mão

Eu, no Jardim Alexandre Herculano


Existem muitos tipos de mãos...
depois... 
existem as tuas, 
que terminam 
em segredo...

e é nessas que as 
minhas repousam, 
numa vontade conhecida 

... de não contar 
até onde me chegam, 
até onde me abraçam
até onde me levam...

e nem quero saber!



Dúlia Soares

3 comentários:

  1. --Por este momento....que me reteve.."me encantou ".....
    ..Poema tão .."delicioso "!!!!

    ResponderEliminar
  2. Desde que me levem até ao fundo...de nós.

    ResponderEliminar