segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Sortilégio

Foto:josé alfredo almeida




O espectáculo da natureza é sempre belo 
 Aristóteles




Quem assistiu a esta exibição de habilidades cromáticas teve o privilégio de contemplar um quadro do mais credenciado mestre. Um  emaranhado quase indistinto de sol e de rio, de céu e de nuvens. Arbustos intrometidos à espreita. Mistério. Sortilégio de tons plurais, crepusculares. Sugestão de fogo que não arde e se vê. Harmonia e sedução. Instantâneo mágico e irrepetível. Olhos gulosos, incrédulos. Melancolia adocicada, tépida, acariciadora. Realidade ou miragem? Milagre ou ilusão de óptica?
Se alguém pensa que a natureza já se revelou aos mortais em todas as suas potencialidades, desengane-se. Quando menos se espera, aí vem ela, lampeira, muito senhora de si, deslumbrar-nos com as suas bizarrias encantatórias.



Vila Real, 2 de Outubro de 2016

M. Hercília Agarez

1 comentário:

  1. ..Não me inibo...

    Seduz..me ..Encanta.me ...

    EXAUSTIVAMENTE:::"!!!!!!!!

    ResponderEliminar