terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Posso ser quem eu quiser





Posso ser quem eu quiser.
Super-herói, Colombina, Pierrot, Cinderela.

Dançar sobre as serpentinas 
 cruzar com elas fios de luz, 
 enfeitar o teu sorriso.

Molhar os cabelos num jogo esquivo,
 de chuvas de Entrudo.

Posso ser quem eu quiser.

Ou despir todas as máscaras, 
 e ser todas as pessoas que me habitam.

Ninguém reconhecerá os meus passos. 
 A estrela na minha mão.

Ninguém me reconhecerá. 
Só quem me ama.


Ana de Melo

1 comentário:

  1. A subtileza....o colorido...
    o brilho....!!

    Gostei ...



    ResponderEliminar